Saturday, May 31, 2014

28 de Maio

Ele e a Lua. 

Para John, e seus sorrisos disfarçados de palavras.

Lá estava ele
Sentado sozinho, e de novo
Olhando para ela.
Silencioso
Apreciando cada segundo daquele momento privativo
Era apenas ele e ela...
Não havia mais ninguém em toda Terra.
Ele abraçava noite e as pernas
Cantarolava os fatos de seu dia 
Para aquela que escutava tão silenciosamente
Naquela amizade de segredo
Em seu companheirismo intenso
Ele calava seus segredos
E compartilhava seus medos
Por que não importava o caso
Ela jamais fazia balburdia.

A pálida luz era o melhor dos abraços
O frio era seu sorriso
O esplendor de todo céu 
Brincava com o reflexo dos olhos dele
E quando o mundo estava escuro 
Ela o escutava. 
Linda e etérea 
A Lua dele. 
Só dele.

Lá estava ele de novo
Sentado sozinho
Olhando para ela
Cabeça estava cheia 
O coração pulsava em sua mão
E mal sabia ele 
Que lá de cima
A Lua olhava em sua direção


No alto estava ela,
Observando os passos dele
O único que voltava os olhos para ela.
Ele tinha pensamentos preto e branco
Num belo contraste com o mundo lá embaixo
Ele era falante em seu silencio
E misterioso por trás dos óculos.

Ela sempre sabia que ele vinha
Todo noite
Que o ar estava pesado de mais
Quando os problemas de toda Terra
Descansavam no peito dele
Ele procurava por ela.
E a Lua
Em sua gelada gentileza,
Desfiava os problemas
Ouvindo as palavras dele
E de todos os problemas
Criava novas estrelas
E as entregava, todas
De presente para ele.

As estrelas conspiravam
E em sussurros se perguntavam
Onde já se viu
A grande Lua
Distribuindo amores
Para um jovem rapaz?

No alto ela olhava para ele
E seu olhar prateado era correspondido
Por que no chão
Sozinho
Ele olhava para a Lua
Que mesmo sem saber
Havia se entregado
Ela era...
De fato

Sua. 

No comments:

Post a Comment