Wednesday, May 21, 2014

10 de Maio

Os Sete

A casa deles.
Parte 1


- Por onde anda a Cornélia? - a voz de Lucien veio de um monte de caixa empilhadas, ele possivelmente estava em algum lugar lá.  -Quase uma semana que ninguém a vê! Por que ir morar todo mundo junto e buscar a tal "harmonia"  se ninguém se quer põem os olhos nela!
Kael e Primia sufocaram risinhos na cozinha enquanto eles desembalavam os pratos e lavavam cada um deles antes de guardar, o motivo da graça e que quando Lucien começou a falar e resmungar, Cornélia estava descendo as escadas, e ao ouvir as palavras a jovem literalmente soltou fumaça pela narinas. 
-Eu estava no meu quarto, organizando as minhas coisas antes de vir ajudar vocês. - Cornélia disse com bastante incomodo em sua voz. 
Todo mundo sabia da natureza dos dragões, eles não conseguem funcionar se não tiverem um ninho, ou uma caverna. Lucien sabia disso também, mas eles estava há mais de três sem provar do sangue de Alessandra, o tempo que levou para ele encontrar todas as peças de seu quebra cabeça.  Mau humor era pouco para descrever como ele sentia-se. 
-Ela está aqui - A voz de  Gawen juntou-se aos outros vindo do telhado, que ele estava tentando concertar algumas telhas quebradas - Podemos para de brigar agora. 
Antes que Lucien pudesse reclamar mais, Alessandra cobriu-lhe a boca para que ela pudesse falar. 
-Boris e eu fizemos um suco e arrumamos uma mesa no jardim interno, vamos todos para lá, descansamos um pouco e conversamos como pessoas civilizadas que somos. 
-Não somos pessoas...- Gawen disse antes de pular do telhado e aterrissar delicadamente na frente da mesa.
- Não começa Gawen. - Reclamou Primia que saia da casa ladeada por Kael e Cornélia. 
-Não,  não o reprima Primia - Alessandra disse docemente - Eu queria falar exatamente disso.
 -Então estamos indo a uma reunião. - Kael riu abertamente, o que fez Lucien irritar-se ainda mais. 
-Isso ... Também... - Alessandra sorriu e puxou o namorado para um canto enquanto os outros se sentavam a mesa. -Escuta aqui. - ela disse ao namorado em tom ameaçador enquanto as palavras escapavam entre os dentes - A ideia disso tudo é sua,  minha alergia está me matando, a lua está quase cheia. Então é bom você se controlar e tratar todos eles MUITO bem ou eu vou arrancar fora o seu parque de diversões. - Ela rosnou e seus olhos dourados brilharam com uma determinação assustadora.
A pálida pele de Lucien perdeu o resto de cor que tinha e ele teve que juntar todas as suas forças para murmurar um pedido de desculpas. Alessandra sorriu um pouco, ela sempre achou interessante ver Lucien, um ser tão dominante, baixando a cabeça quando percebia que estava errado, ela pegou em seu bolso um minúsculo canivete com o cabo de madrepérola (presente antigo que Lucien havia lhe dado anos atrás)  e fez um corte fino e limpo em seu punho. 
-Toma... Faz tempo que você está sem.
Lucien tentou negar, ele queria mostrar para ela que ele era um homem forte, que ele era muito mais do que aquele vicio que ele tinha... Mas o cheiro impregnou-se no nariz dele, a lembrança do sabor inundou-lhe  a boca e mesmo sendo um homem forte Lucien agarrou-se no braço dela, e deixou seus lábios pousarem na pequena poça quente que se formou no pulso dela. 
Alessandra sempre achou interessantíssimo ver como Lucien mudava ao... "Saciar sua sede". A pele ganha uma nova cor, os cabelos ganham um novo brilho e a melhor parte, como pensar ela, seu humor melhora. ainda que ela ficasse um pouco fraca, ela ficava bem satisfeita consigo mesma quando pensava em algo tão inteligente quanto aquilo. 
-Melhor? -perguntou ela quando Lucien lambeu os lábios 

- É por isso que eu te amo Ale. - Respondeu ele e antes que a jovem pudesse dizer qualquer coisa, ele a beijou apaixonadamente e completamente revigorado. 

No comments:

Post a Comment