Wednesday, April 30, 2014

30 de Abril

Dicas de Abril


Musica -  Icarus - Bastile



Bastille (estilizado como BΔSTILLE) é uma banda de indie rock Inglês formada em Londres, em 2010. Teve como começo um projeto a solo do cantor e compositor Dan Smith, o qual decidiu, mais tarde, formar uma banda. O quarteto é composto por Daniel Smith , Chris Wood , William Farquarson e Kyle Simmons . O nome da banda deriva do Dia da Bastilha - um evento celebrado no aniversário de Daniel Smith, 14 de julho.

Descobri essa banda muito possivelmente pela minha irmã, que devo dizer é a maior influencia nas bandas que eu escuto, e honestamente eu me apaixonei pela primeira música que eu ouvi, "Pompeii", e depois minha irmã me passou o cd e eu ouvi Icarus... Foi amor a primeira ouvida. Eu já sou apaixonada pela
historia de Ícaro e Dédalo, e quando ouvi a música que canta a história... Tem como não gostar? Eu respondo, não, essa música é muito amor!



Livro -  Julieta Imortal




Julieta Capuleto não tirou a própria vida. Ela foi assassinada pela pessoa em quem mais confiava, seu marido, Romeu Montecchio, que fez o sacrifício para assegurar sua imortalidade. Mas Romeu não imaginou que Julieta também
teria vida eterna e se tornaria uma agente dos Embaixadores da Luz. Por setecentos anos, Julieta lutou para preservar o amor e as vidas de inocentes, enquanto Romeu tinha por fim destruir o coração humano. Mas agora que Julieta encontrou seu amor proibido, Romeu fará tudo que estiver ao seu alcance para destruir a felicidade dela. Segredos, mistérios e surpresas envolvem este poderoso romance em que o casal mais famoso da literatura mundial tem a chance de contar sua verdadeira história.

Esse é o tipo de livro que eu classifico como "leitura de final de semana", gostoso e simples, e ponto.  Não espere nada de mais desse livro, não vai mudar sua vida, não vai trazer grandes reflexões, é apenas uma forma de
entretenimento bem agradável. Li o livro em dois dias, e aconselho que a leitura comece em um dia de chuva com uma bebida quente por perto... pra criar o clima. O livro tem uma continuação, Chamada Romeu Imortal, ainda não li mas irei assim que possível e trago notícias quando terminar de ler.





Filme - Meu Vizinho Totoro


Filme de animação japonês feito em 1988 com direção e roteiro de Hayao Miyazak, conta a histõria de duas irmãs e seu pai que
mudam para uma fazenda para ficar mais perto da mãe que se recupera em um hospital de uma doença. E na floresta que fica perto da casa das meninas elas conhecem Totoro, um espirito da floresta e ...Eu não falo mais nada, se você quiser saber o que acontece, assista. Esse filme é uma graça, simples e incrível em sua simplicidade.
Eu sou grande fã dos filmes do Studio Ghibili, completamente apaixonada pelo Castelo Animado, A Viagem de Chihiro, Serviço de Entregas da Kiki, Ariette, O Reino dos Gatos, Meu Vizinho Totoro... E esses são
os que eu vi, e honestamente sugiro que vejam todos.
Miyazak cria um mundo da magia e fantasia em todos os seus filmes e Meu Vizinho Totoro se tornou um dos meus preferidos assim que eu assisti, agradeço a minha querida amiga Anne e meu grande amigo Alexandre por terem visto o filme comigo.




Audiobook


Esse mês eu quase não tive tempo para ouvir nenhum audiobook, o que é muito triste
, mas eu sempre posso indicar um dos meus preferidos.
A série de audibooks do Harry Potter, narrada por Stephen Fry é em
si uma obra prima, mas se é para indicar UM, eu indico "Harry Potter and the Chamber of Secrets", indico esse por que é meu livro preferido da série,e. A leitura tá magnifica.
Mais uma vez eu aviso que a leitura ta em inglês, audiobooks são formas maravilhosas de treinar o seu "listening", ou fazer como eu faço, ouvir o livro tomando banho!






Video -
Rouge In Love,  Michelle Phan


Esse curta é uma gracinha, estrelado pela
linda Michelle Phan, que é guri de maquiagem super famosa no Youtube, esse é um videozinho super cuti-cuti de romance e fofisses e super vale a pena ver. Uma curiosidade é que o homem mega gato no video é o namorado da Michelle, o nome dele é Dominique Capraro, que é modelo e lndo ...Maravilhoso... Gato...Sexy... Bem...Vocês entenderam. 





Mimos




Eu amo comprar, simples assim, gastar dinheiro é algo maravilhoso, eu amo comprar coisas pela internet por que eu sempre fico super feliz quando chegam pacotes para mim! E uma das coisas que eu comprei esse mês que eu super, ultra mega indico, para as mocinhas e mocinhos que gostam de bocas com cores, e o batom mate veludo da quem disse berenice na cor Violentando.
De acordo com a marca o batom mate veludo é:

o batom mate veludo, é nossa nova textura de batom mate. fica entre um cremoso e um mate. como assim?! ele mantêm o melhor dos dois: o conforto do batom cremoso com a durabilidade do batom mate. são 7 novas cores lindas e com FPS 12.



E essa cor é uma mistura de rosa com lilas e fica divino na boca, eu me sinto poderosa quando uso e me deixa com cara de ...sei lá viva!
Eu super recomendo e digo mais,vou comprar outras core da coleção.








Tuesday, April 29, 2014

29 de Abril


Estou morrendo de tédio- disse Howl pateticamente - ou talvez só morrendo
O castelo animado, página 208

Monday, April 28, 2014

28 de Abril

Direções Infinitas.

E se... ?


Havia noites em que Ana ficava deitada na cama, olhando o teto enquanto ouvia a respiração de Thiago e Guilherme sonolenta e pesada de cada lado dela. Sentia seus pensamentos devaniavando-se para os cantos sombrios de sua mente. Eram nessas noites, quando Ana não conseguia parar de mover os pés, e suas costas coçavam de mais, que a jovem se perguntava : O que porra eu to fazendo da minha vida?
Ana havia largado a faculdade, algo que de fato era boa, tinha boas notas, um bom emprego... Por que então não conseguira ser feliz naquela época?
Aquilo era o que as pessoas chamavam de vida não?
 Estudo, trabalho, comida, bebida, estudo, trabalho,  comida,repete.
Trabalho, comida, estudo, comida, trabalho, estudo, café, estudo, estudo,
Repete.
Repete...
... Repete...
Porra!
Ela estava suando naquela noite fria, não havia desconforto, não havia se quer calor para  fazê-la suar, mas ainda sim, ela sentia a temperatura subindo, não ao redor dela, mas dentro.
Era um calor grudento, como vapor que sobe do asfalto depois de uma repentina chuva de verão, intenso, morno, e completamente impossível de escapar. Ela sabia que esse calor vinha sempre que ela se deparava com aqueles momentos assustadores em que você finalmente se dá conta qie as escolhas que você faz... Aquilo é sua vida!
Essa realização a assustava, toda a vez que ela percebia isso... Temia por tudo aquilo que fez, mas mais ainda por todas as escolhas que deixou de fazer...
Levantou-se da cama com cuidado para não acordar nem Guilherme nem Thiago e caminhou ate a cozinha. Era a parte mais fria da casa, havia sempre uma infernal corrente de ar que esfriava demais a comida, mas em noites quentes, quando Ana não conseguia dormir e precisava de um pouco de ar,  aquele era seu lugar preferido.
Sentou no chão frio e tentou não pensar.
...
Mas...
E se...
E se não houvesse largado a  faculdade... Estaria formada agora, provavelmente trabalhando com o amigo de sua avô, ganharia bem...
 Não haveria aquela chatice de ficar sem luz alguns dias por que seu pagamento saia muito depois do vencimento da conta de luz... Ela não teria que dormir pela manhã quatro vezes na semana...
Não haveria nenhum problema com cheiro de bebida, que para Ama se transformara em algo bastante enjoativo depois de trabalhar tantas horas com aquele constante odor dançando e, suas narinas...
E se ela tivesse escolhido outra profissão...
Sempre fora muito boa em matemática, podia ser professora de cursinho...
Os pensamentos  eram tão densos que pareciam afoga-la, de repente ficou difícil de respirar e Ama teve que suprimir um grito em sua garganta...  
Foi nessa hora que Thiago entrou na cozinha, com os olhos meio abertos  tropeçando nos próprios pés por culpa do sono, ou talvez da luz.
O jovem abriu a geladeira e olhou para o lado, onde viu Ana sentada contra parede. Thiago esfregou os olhos e suspirou.
- Aqui - disse ele entregando a Ana uma lata gelada de guaraná enquanto passava o braço forte ao redor da cintura dela. - Você precisa de algo gelado para se acalmar e voltar a dormir.
- Como sabe que eu preciso me acalmar?
-Por que eu conheço cada um dos seus trejeitos... Cada uma das suas carinhas e caretas... Anda, bebe, respire e vamos pra cama.

Ana acenou com a cabeça a abriu a latinha com um pequeno sorriso,  se ela não houvesse feitos as decisões que fizera... Ela não estaria tão feliz.

Saturday, April 26, 2014

26 de Abril

Sobre as novas séries e a programação do Blog.

Outra série nova no blog, depois de Os Sete e Direções Infinitas, chegou a  vez uma, a perfeita  mistura de imagens, frases e atores gostosos e atrizes gatas, tudo isso  dentro do mundo mais que preferido dessa que vos fala, o Maravilhoso Mundo de Disney!

O que consiste essa bela e nova série?  Bem, eu explico, inspirada pela magnífica coleçãodo Polyvore  da minha querida amiga Sofia (que eu checaria o link se fosse você), eu resolvi começar a pensar na seguinte situação: No mundo de atores e atrizes de todo que é canto desse mundão de meu Deus, quem eu escolheria para fazer os personagens que eu mais amo da Disney?

E com Disney eu incluo Studio Ghibli e Pixar.

Então a série é basicamente esse eu vou escolher um personagem, um ator/cantor/Youtuber/celebridade que eu acho que ficaria legal vivendo tal personagem.

Minha primeira ideia é fazer, A Bela e a Fera, obviamente... E depois, A Pequena Sereia, depois dessas duas... Ai meus bens é o que vier na mente ou o que for pedido.

Sobre a nova programação, sim eu estou me organizando, é a seguinte, anota ai. A partir da próxima:

·        Toda Segunda-feira é dia de um novo Episódio de DireçõesInfinitas, onde coisas novas vão acontecer com a Ana, Thiago e o Guilherme. Serão pequenas crônicas da vida deles três e de todos que os rodeiam.

·        Toda Quinta-feira é dia de Dream Cast Disney, a séria discutida acima. Ou seja, imagens bonitinhas e fofas dos personagens mais amados da Disney.

·        Todo Sábado é dia de um novo Episódio de Os Sete.  E eu só posso avisar que existirão mais personagens, episódios temáticos e muito mais coisa legal.
Então é isso. Espere por um Vagalume mais organizado e com séries regulares.

            Que a bunda de todo mundo continue brilhando.
Beijos
M.


Friday, April 25, 2014

25 de Abril


Classificados 

Vendo um coração, semi-novo, um pouco usado mas bem comfortável.
Estofado em poesia, modelo de 1991, exelentes condições.
Aceito pagamento à vista ou  prestações.
Vendo um coração com alguns pequenos defeitos
Mas garanto que tem espaço
Cabe amigos, familia, amores sem qualquer aperto.
Um coração pequeno, timído e com algo a acrescentar
Vendo-o para alguém que eu possa amar.
Interessados me procurem
Eu posso negociar
Se não quiser comprar....
A gente pode trocar.








Thursday, April 24, 2014

24 de Abril

 As dez melhores frases dos dez últimos livros que eu li.


1- Stephen King, Christine
"Esse sonhos não são a única razão pela qual escrevi tudo isso. Existe outra, que explicarei em um momento, mas mentiria se afirmasse que os sonhos não constituem uma boa parte da razã̃o"


2- Nicole Jordan, Sedução
"Damien se esforçava para conter a perturbadora pressa que sentia para tirá-la dali, para afastá-la da vista de seus lascivos amigos, mas a ironia da situação não lhe escapava. Ele se sairá muito bem ao educar Vanessa para se tornar a amante perfeita, até acima de suas expectativas, e seu próprio êxito o deixava furioso."


3- Marlyn Kaye, Penelope
"Não é a maldição. É o puder que você dá a ela"


4- John Green, A culpa é das estrelas
"Ah, eu não ia me importar, Hazel Grace. Seria uma honra ter o coração partido por você."


5- Neil Gaiman , O oceano no fim do caminho
"Ninguém parece por fora, o que de fato, é por dentro."


6- Mark Zusak, A menina que roubava livros
"O único dom que me salva é a distração. Ela preserva minha sanidade."


7- Erin Morgestern, O circo da noite
"O dia da estreia, ou melhor, a noite da estreia, é espetacular.
Todos os detalhes estão planejados, uma multidão se aglomera
 fora dos portões bem antes de o sol se pôr. Quando finalmente é permitida a entrada, as pessoas fazem isso de olhos arregalados, e, à medida que andam de tenda em tenda, os olhos arregalam-se ainda mais."


8- Stephen King, A hora do lobisomem
"Lá fora, o vento se transforma num lamento contínuo. Westrum ergue a cabeça, preocupado. É apenas o vento, pensa. Mas o vento não arranha portas... tentando entrar."


9- Dianna Wyne Jones, O castelo animado
"Olhe para isto! O que essa força do caos em forma de mulher fez com

esses feitiç
os?"


10- Roald Dahl, Matilda
"... Tem a mesma beleza glacial de um iceberg, mas diferentemente de um iceberg, ela não absolutamente nada sob a superfície."

23 de Abril

Para fazer uma de mim


Lista de ingredientes desenvolvida pelos meus queridos amigos, Artur, Amauri, Rafael, Bianca Raianne e Mariana.


Para fazer uma de mim você vai precisar de duas colheres de sopa de cada uma das cores mais vibrantes que você encontrar, e duas colheres extra de cor-de-rosa... Três xícaras e meia de criatividade, então  misture devagar com as cores até criar uma pasta homogênea, se necessário vá agregando criatividade aos poucos até que a mistura solte do fundo da panela.
Antes de acender o fogo adicione algumas pitadas de ousadia, uma colher de chá de humor e um grande punhado de frases e bons livros, e alguns ruins também a gosto, por que nem tudo na.vida são flores... Falando nelas, adicione algumas também.
Deixe cozinhando em fogo baixo enquanto a massa toma forma, quando começar a exalar um arome de rosas com chocolate tire a tampa e adicione tidos os filmes da Disney cortados em cubos, e deixe a massa descansar por duas horas.
Cubra com um papel celofane bem colorido e alegre por mais 24 horas depois de frio e pronto!
Se tudo for feito certinho, você terá uma DYVA com batom cor de rosa e orelinhas do Mickey!, decore com maquiagem e perfume a gosto.




Wednesday, April 23, 2014

22 de Abril

Triangulo não tão amoroso.

Duas coisas importantes sobre mim, coisa número um, eu sou da classe média brasileira, isso significa que eu vivo bem e confortavelmente dentro dos limites racionais da minha conta bancária, coisa número dois, eu sou uma compradora compulsiva de maquiagem... E maquiagem é caro.
Eu não sei quando foi que eu comecei a usar maquiagem, mas lembro que eu sempre achei a ideia de poder mudar seu rosto com aqueles pozinhos coloridos sempre me pareceu fascinante, e depois que eu descobri que diferentes pinceis fazem diferentes coisas, e que certas cores combinam, e outras cores não, que batom fica mais tempo se usar lapis por baixo, que antes de usar base a gente usa um primer...
Uma outra coisa que eu descobrir é que... Maquiagem é cara pra caramba!  E por mais que eu ame e não tenha pena em gastar meu rico dinheirinho em sombras e blushs. Passar horas me arrumando para poder sair por vinte minutos e me sentir bem.
Antes eu usava maquiagem para esconder as minhas imperfeições, esconder todas as minhas manchinhas, minhas olheiras constantes e eternas, minhas bochechas muito grandes, meus lábios que são extremamente assimétricos...
Mas isso foi antes, antes de eu descobri para que serve e para que eu posso usar maquiagem, não é para me esconder e sim para me expressar, se eu estou bem comigo mesma, se eu estou feliz, vou usar uma cor ou um estilo, e quando eu estou triste provavelmente não vu usar nada, se eu estou me sentindo sexy, pode apostar que eu vou colocar um batom escuro... Assim como as palavras que eu me apoio, as cores de uma paleta de sombra me servem para isso...
Seria uma bela relação entre essas duas dimensões se... Maquiagem não fosse tão caro.  E eu por ter muito mais conta que dinheiro preciso de algo com que não fui agraciada... Paciência. Paciência para juntar dinheiro, paciência para esperar promoção... A paciência para escutar de todo mundo:

“Ouro Pincel?” “ Mas você já não têm um blush? “Pra que tanta sombra?” “O que é esse pincel faz?” “Qual a diferença entre esse e esse produto” “ Você não precisa de maquiagem” “Nossa assim você ficou tão velha.”

Que frustrante podem ser algumas situações da vida... 


21 de Abril




Dez Coisas que Eu Não Posso Viver Sem, sem maiores explicações ou ordem.


1- Música.
2- Canetas
3- Abraços
5- Famílias (amigos inclusos)
6- Perfume
7- Disney
8- Internet
9- Mascaras para dormir
10- Livros

20 de Abril

Segunda Pessoa do Singular 

Eu procuro você nos rostos que passam
 Vejo seus sorrisos nos olhos que não seus
Entrego-me a braços estranhos buscando teu enlaço.
Mas eu não te acho, não te encontro.
Durmo no seu travesseiro para ver se consigo enxergar os sonhos que você deixou  para trás.
Me deparo com sombras e a minha escuridão.
Nem os pensamentos você deixou...
Eu te busco
Te procuro
 Nos cantos
Nos versos,nas palavras ,
Nos detalhes que ficaram
E me prendo num passado
Crendo em um futuro que não virá.
Através dos passos seus, me perco no meu caminho
E já não sei o que me espera do lado lá da realidadade...
Onde o passado já foi
O lado de lá...
O lado...
Que lado?
Eu procuro você nos rostos que passam.
Vejo seu sorriso em olhos que não são seus...


19 de Abril

O Pior de todos os dias...

=(

17 e 18 de Abril

Direções Infinitas.

Para que lado fica o seu Norte?

Buscar explicação é o mais absurdo e inútil esforço que ma pessoa pode fazer. Primeiro por que existem coisas que não tem explicação e segundo por que a duvida, muito mais do que a resposta, é o que movimenta o mundo.
Não é a resposta que estamos buscando na vida, e sim a pergunta certa.
Sabendo disse podemos evitar o esforço de tentar explicar a maldita razão que fez uma excelente aluna como Ana largar a faculdade em seu penúltimo período, desistir do trabalho na empresa que estagiava, e ir trabalhar como bartender em um bar chamado Meia Lua de quarta a domingo. O que realmente importa é o que aconteceu depois.
Ana Carvalho tem 23 anos, cursava Engenharia Civil, tinha um carro, trabalhava como estagiária em uma empresa de renome desde o seu terceiro semestre morava com os pais e... Era extremamente infeliz.
Se antes ela tinha tudo que uma jovem adulta poderia querer, agora Ana é... Feliz.
O que aconteceu entre a faculdade e o Meia Lua, de veras não importa a ninguém a não ser Ana, o que interessa mesmo é o que aconteceu enquanto ela trabalhando, dois diferentes eventos, um único destino que mudou a vida de Ana completamente e foi o que a transformou completamente.
Era quinta-feira quando ela conheceu ele.
Ele entrou pela porta coberto pela chuva e com um belo sorriso no rosto, um jovem, que não era bonito nem feio, que não era alto ou baixo, gordo ou magro, mas que... Mesmo assim, em sua andante indiferença, chamou a atenção de Ana.
Ele sentou no bar e pediu uma cerveja, foi servido por Ana.
Ele sorriu.
Ela também.
Ela se apresentou, e ele disse que seu nome era Thiago.
Thiago era um jovem advogado, que estava estudando prova para virar um promotor, ou algo do gênero que ela de fato não compreendeu. Ele era  diferente, misterioso e muito, muito sarcástico, o que deixou Ana completamente  sem ar.
O bar fechou Thiago ajudou Ana a fechar o Bar e ambos ficaram sentados na calçada, os dois conversaram sobre tudo e nada,e  descobriram que suas personalidades eram complementárias. Quando ela se dizia muito racional, ele era emocional, e em sua maioria quando ela se perdia nos sentimentos dela ele era extremamente racional.
Foi bem ali, na calçada, sob uma luz escondida da lua, que Ana se apaixonou por Thiago.
Esse foi o evento número um.
Naquela mesma noite, quando Thiago a deixou em casa, Ana buscou algo para fazer, e com a cabeça pulsando pela quantidade de ideias e sentimentos que ela começou a sentir naquela noite, por isso, pensa ela, que o sono não veio.
Sentada na cadeira de sua sala ela estava em um fórum de discussão de videogames, e observou uma acalorada discussão sobre quem seria melhor no final das contas. Mário ou Luigi. E a resposta era obvia... O Yoshi.

E foi com aquela resposta que ela conheceu Guilherme, um jogador de videogames profissionais, que ganhava dinheiro de mais e era um cara muito sozinho.  Ele era um rapaz completamente doce e com a mente mais aberta que Ana jamais conhecera,  eles começara a conversar no fórum, depois trocaram telefones... A noite veio e se foi e foi durante uma das cinco horas que ela se apaixonou pela segunda vez em um único dia. 
Esse foi o segundo evento. 



Então lá estava Ana, a garota que havia feito às escolhas mais absurdas, em uma encruzilhada que ela não sabia como sair dela. De um lado o quase promotor que não era feliz nem triste, gostava de whiskey e tinha um apartamento bem grande perto do Meia Lua, e do outro lado tinha Guilherme, um jogador de videogames profissional que morava em uma república, e achava que miojo com requeijão é um prato requintado.
Uma pessoa normal iria prestar atenção aos detalhes, avaliara as opções, seguiria o coração e no final, escolheria um dos rapazes e com alguma sorte não se sentiria como se tivesse feito à escolha errada.  
Obviamente Ana não era normal, mas ela realmente tentou escolher um deles, só que... Não dava para escolher, separados eles eram bons rapazes, quando ela tinha os dois... Era perfeito, honestamente não dá para competir com perfeição. Então ela se questionou:
Por que não ficar com os dois? 
Foi uma conversa extremamente tranquila,  e ela explicou que para os dois rapazes sobre sua ideia que era um pouco estranha que ela teve, ela foi sincera enquanto falava com eles, e havia alguma coisa no sorriso dela, ou nas palavras que ela falava que realmente  fez com que Thiago e Guilherme aceitaram a ideia dela.
Atualmente, três anos depois daquela conversa, Ana, Thiago e Guilherme moram juntos em um apartamento deles, dividem a cama e as contas, , tem um cachorro e um gato e mais importante...  Os Três eram completamente felizes.
Ana ainda trabalha no Meia Lua, Thiago passou na prova para Promotor mas ainda não é gordo nem magro, Guilherme ainda tem certeza que Yoshi é melhor que o Mario e o Luigi juntos.  E os três vivem uma vida simples e muito feliz.

As vezes eles brigam as vezes, as vezes eles choram, as vezes a luz é cortada por que eles esquecem de pagar a conta mas é assim que eles são... E ninguém precisa explicar nada. 


Friday, April 18, 2014

16 de Abril

Carta aberta para um certo alguém que não conhece o Blog... 

Para Um Menino Qualquer 
Eu acredito que a poesia é mais que uma forma de escrever, é uma linguagem única, e por ser uma linguagem, só faz sentido quando usada em um diálogo. Então eu nunca escrevi um poema se não tivesse alguém com quem eu queira me comunicar...
Mas por vários anos eu não tinha alguém para escrever, até que dia 17 de novembro de 2013, eu vi um poema no Spotted. Um poema para ninguém em particular e finalmente senti vontade de escrever rimas de novo. 

Naquele dialogo cheio de versos e
músicas eu aprendi a gostar da chuva e a esperar ansiosa por uma resposta. Você se dizia um Menino Qualquer, mas fez uma diferença enorme pra mim, você se tornou único, especial... Enquanto outros spottedes falavam de paixonites geradas na aparência, eu gostei mesmo do seus versos...

Pena que o tempo passou que eu não
achei coragem para dizer quem eu era... Que nossas rimas se perderam nesses meses... Mas eu te guardo no coração, Menino, e mesmo sem conhecer teu rosto eu te procuro na multidão, por que não me esqueço das vezes que você me fez sorrir quando meu céu estava nublado. Espero um dia poder te ver, nem que seja só pra agradecer pelos tenros versos amarelos. 
Com carinho, Uma Garota Qualquer.

Tuesday, April 15, 2014

15 de Abril

Observações de uma garota qualquer


A sociedade, como está hoje, é algo que eu não entendo, e não vou falar da mídia como uma reflexão de certos padrões quase inalcançáveis pela maioria da população e a objetificação do ser humano como um todo, mas sim de outra característica que anda me deixando... Curiosa, para dizer o mínimo.
Nas minhas andanças virtuais pelo Facebook eu percebi uma coisa, não uma, mas várias páginas relacionadas a livros colocavam em imagens dois tipos de pessoas as "Meninas que leem" e as "Meninas iguais". As últimas sendo meninas e mulheres que gostam de maquiagem, moda, estilo e coisas que a maioria das pessoas associa a uma mulher/ menina que não tem cultura e só se preocupa com aparências.
O que me é estranho é a noção de que uma é fator oposto e excludente ao outro, quero dizer, se a menina gosta de ler, se interessa por cultura de modo geral ela obviamente não pode ter interesse nenhum em qualquer coisa que se relacione com beleza e aparência.
Se isso for verdade... O que raios eu sou?  Explico, eu , M, gosto de maquiagem, não me importa de gastar 100 em uma paleta ou 30 em um lápis de olho, passo boa parte do meu tempo aprendendo novas formas de usar maquiagem e no meu tempo livre eu gosto de olhar promoções para que eu as compre mais.  Eu gosto de usar e entender maquiagem, cuidados da pele e estilo como um todo. Com isso eu poderia me classificar com uma "menina igual".
Mas a verdade é que eu gasto tanto ou mais dinheiro em livros também, gosto de ficar em casa sexta a noite para ler um livro, e não costumo ir a festas, gosto muito mais de ficar em casa lendo, ou escrevendo ou jogando video-games. Então eu sou uma "'Menina que lê”... Também.
Esse é meu ponto, pessoas são multifaceitais, tem tantos lados quanto possíveis e, por mais absurdo que isso pareça,  duas características, ainda que opostas, não se anulam. Uma pessoa pode gostar de passar horas na academia e ainda sim aproveitar um bom livro. Uma pessoa que lê muito pode ser alguém de mente fechada e preconceituosa, quem joga videogames pode ser uma pessoa sociável e muito ativa...

Não estamos presos a nenhuma caixa, não somos etiquetáveis... E antes de você sair vestindo camisas dizendo “Namore um Nerd” ou “Se apaixone por uma menina que lê”... Por que não conhecer todos os lados de uma outra pessoa? É muito mais legal e bem menos frustrante.

Monday, April 14, 2014

14 de Abril

Desfile de Mascáras 

Era uma família comum, que passava, junto, um feriado comum. Sentados a mesa estavam todos eles, sorrindo enquanto comiam e bebiam as grandes quantidade de alimentos típicos  da época.
Era uma família comum, e todos fingiam estar felizes. Desempenhavam seus papeis como deveriam, sorrindo nas horas certas, alternando quem e quando se contaria um caso curioso ou engraçado, quem serviria as bebidas, quem cortaria a ave...
Naquela família comum havia uma avô comum que sorria, embora tivesse desistido de viver. Sobrevivia por motivos desconhecidos por ele, sentia-se fraco e sabia que nenhuma daquelas pessoas entendia de fato sua situação.
Ao lado do avô havia a jovem silenciosa, sentará longe de seu pai, com que, não falava havia pelo menos, cinco anos. Ria e brindavam a seu copo com os tios e a mãe, todos faziam parte de sua coversa, menos o pai. Espera ela que ninguém notasse o silencio entre eles.
Mas notaram, e todos, como bons atores, ignoraram.
 Ao lado da jovem silenciosa havia a mãe maquiada, escondia sob falsos sorrisos e longas mangas o real motivo do silencio entre a filha e o marido querido, que era talvez um pouco difícil de lidar, e às vezes demonstrava seu afeto de forma ... Diferente, mas ela sabia que ele a amava... Estavam juntos há mais de vinte anos, é claro que a amava.... Pensava a mãe maquiada.
Logo a frente da mãe maquiada estava sentada a avó sem óculos, que fingia  não ver o silencio, que fingia não notar o avô comum e que preferia ignora o namorado da jovem silenciosa, e fazer de conta que tudo estava lindo.
Era um Natal com ares de carnaval, onde todos usam máscaras e comiam as comidas que nos lábios não tinham sabor, e conversavam sobre os fatos que... De verdade, não tinham importância. Viviam de aparência e por algumas horas, o mundo imperfeito de uma família comum, era como nos filmes, belo e maravilhoso.

Quem dera...

13 de Abril

Os Sete

Gula


Ninguém mais fica em bibliotecas. Grande ou pequenas, públicas ou particulares, novas ou velhas... Ninguém vai mais a bibliotecas. Não como antes.
Antes era fácil para os comedores de sonhos alimentarem-se, era apenas entrar nas bibliotecas e lá estariam eles... Espalhados sobre a cabeça das pessoas, de todos os tamanhos e cores, todas as formas e sabores...
Os sonhos, confeitados com romances ou temperados com aventuras, picantes com os contos de terror, e porções incontáveis  de devaneios perdidos por entre as estantes e dentro dos livros que eram deixados nas mesas quando as pessoas saiam para o tal mundo real.
A verdade é que sonhos são muito mais saborosos que os pesadelos, e tem uma grande qualidade de sabores, mas os Bakus podem apenas alimentar-se dos pesadelos, e ainda que fiquem tentados a comerem os deliciosos sonhos que os humanos e outras criaturas eram um presente divino, da luz e da escuridão, e por tanto,  território proibido para os comedores de sonhos...
Proibidos eram os sonhos verdadeiros, aqueles que veem da alma quando se está em um sono profundo,os Bakus tinha certa permissão para pegar, observar, cheirar, e deleitar-se com os devaneios esquecidos por entre os livros, ou em cinemas e parques... Qualquer lugar que uma pessoa possa sonhar acordado e depois esquecer o que pensou, muito possivelmente é por isso que se encontra muitos Bakus por entre esses ambientes.
Ainda que a maioria dos bakus andasse por outras bandas, Kael ainda acreditava nas bibliotecas, e por vez ou outra... Conseguia pequenos resquícios de sonhos aqui e ali... A verdade e que Kael é um romântico, ele  sempre preferiu acreditar nas palavras escritas que nos filmes ou nas musicas... Por que... palavra é o sentimento derramado em tinta.
 O mundo se transformou em um lugar tão sem cor... Eram tempos difíceis para os comedores de sonhos... As pessoas estão ocupadas de mais para deixar a mente divagar, ocupadas de mais com a vida real para que os sonhos se aproximem deles, ocupadas demais criando tempo que ele esquecem de viver E... Se as pessoas não sonham acordadas...  E sem sonhos espalhados por ai, qual é a função de um Baku?
 Kael é um Baku e tinha 22 anos, não 22 mil, não 220... 22, apenas. Nasceu em uma família com tudo de mais, filhos de mais, pobre de mais, brutos demais, contas de mais, sofrimento demais...
Ainda que ele não goste de pensar nisso, ele não acredita de fato  que os pais perceberam quando ele adoecera e começou a sentir a vida escapar-lhe os dedos, mas antes disso, antes da doença, quando vivo, foi um rapaz estudioso, gostava de música e poesia, era popular com as meninas do colégio devido aos olhos imensamente azuis e sedutor sorriso.
Kael morreu com dezoito anos, e era humano quando morreu, era um jovem  inteligente e ainda que estivesse bem mais velho que uma criança,  mantinha a mentalidade, o espírito de uma criança. E foi por ser tão puro que ele foi escolhido para tornar-se mais que um humano.
Ele sabia que havia morrido, mas estava vivo de novo, como um dos comedores de sonhos. Ele era um Baku.
Bakus ou os Filhos de Irvin, eram , junto com as Sereias,  os guardadores da magia, eles controlavam o mundo irreal, sonhos, pensamentos, as ilusões, almas  vivas, e com certa pratica, os sentimentos também, Kael ainda estava prendendo a lidar com sentimentos mas ele aprendia bem rápido, e em segredo fazia pequenas experiências.
Era uma manhã calma e fria e Kael caminhava pelas poucas mesas usadas na biblioteca pública, recolhia os livros que depois os levaria para as prateleiras corretas a fim de guarda-los e só então abriria o lugar para o publico,distraído ele quase não percebeu o homem sentado na janela segurando um livro antigo e cheio de poeira, e quando o viu levou um susto.
Era um homem de cabelos bagunçados e quase na altura dos ombros, tinha olhos escuros e muito fundos, o rosto parecia cansado mas ele sorria levemente quando os olhos escuros encontraram os azuis delicados de Kael.
- Olá - disse o homem ainda na janela
- Bom dia emm... Como o senhor entrou aqui? - perguntou Kael curioso, afinal a biblioteca ainda estava fechada.
- Uma pequena porta, perto da saída de ventilação.
 Kael sorriu, ele conhecia aquela porta, mais de uma vez escapou por ali para poder  ver a lua crescer no céu.  Ele era um grande apreciador da noite, eram quando os sonhos brilhavam mais que as estrelas no céu.
- Eu precisava  lhe falar meu jovem, a sós.  - disse o homem
-Comigo?
- Sim meu amigo, eu preciso de um Baku.
- Eu sabia que você não era exatamente normal - Kael tentou esconder uma pequena risada mordendo o lábio.  - O que você precisa de mim? E o que exatamente você é?
- Me chamo Lucien, filho de Bastet, quero falar sobre A primeira lenda, o que você pensa dela?
- O que eu sei é... A maior parte de nós não acredita nela, não mais. Passou-se tempo de mais, vieram novas lendas, e nenhuma prova da veracidade da Primeira Lenda. Nas escolas nem se quer falm dela, a gente só sabe quando... Passa pro lado de cá da mortalidade sabe... Mas... O seu olhar me diz que você vai me provar do contrário.
- Exatamente. - E tirou do livro uma foto. Era uma sereia cabelo brancos, uma calda negra, seria uma sereia ordinária mas havia algo muito estranho a mulher tinha... Rugas. Profundas e antigas, cheias de história e vida. - Essa é Annielle, morreu há menos de um mês. Ela estava morando com outros cinco pessoas em uma casa perto da praia, em País não tão longe, ela era viúva...De um Vampiro. 
- Então... Você quer dizer que...  Nossa, isso é... Puta que Pariu, isso é impressionante, quase... Surreal, quer dizer que eu... Posso... Voltar a ser o que eu era?
- Mais ou menos você vai ser um Baku que envelhece e então, um dia, você vai estar velho de mais e... Morrer. Mas isso só acontece quando a Primeira Lenda é cumprida.
- Bem isso quer dizer que você precisa de um de cada... - Rapidamente ele contou nos dedos quantas eram as diferentes espécies de sobrenaturais que havia. - Seriam sete pessoas em uma única casa... Sete pessoas que não morrem e que... Tecnicamente são de... Como eu posso dizer isso educadamente? Espécies rivais. Eu quero dizer nenhuma sereia gosta de um Baku, e vampiros e lobisomens não são conhecidos por serem amigos, se é que me entende.
- Entendo, mas acho que se todos nos tivermos o mesmo objetivo...
- Ser humano de novo?
- Ou pela primeira vez em certos casos...
- Quantos você já tem?
-Seis...
- Ora, eu sou a peça final do seu quebra cabeça?
- De certa forma.
- Onde é que eu vou morar?
Outra Foto, dessa vez de uma casa bem grande com uma pequena loja na frente. Era uma casa velha que precisava de reforma mas tinha algo especial. Parecia um... Lar.
- Parece bonita - Kael disse com um pequeno sorriso.
- Comprada com ouro de um dragão.
- Sério?
- Sim, o nome dela é Cornélia, comprou a casa que era de um surfista, fica perto da praia e tem espaço para todos nos...

- Quando eu posso mudar?